A Transpetro inaugurou na quarta-feira (3/4), no Terminal de Guarulhos, em São Paulo, a primeira usina solar fotovoltaica capaz de abastecer 100% uma planta industrial do Sistema Petrobras. O projeto pioneiro é parte dos investimentos da companhia em transição energética e descarbonização em suas áreas de negócio.

“Queremos nos manter no grupo de empresas que lidera as mudanças da matriz energética brasileira, oferecendo soluções sustentáveis e que tragam resultados sólidos de descarbonização. Por isso estamos investindo em ações que contribuam para o fomento de uma economia de baixo carbono. Temos um compromisso com as pessoas e o meio ambiente e esse projeto faz parte disso”, afirmou o presidente da companhia, Sérgio Bacci, durante cerimônia realizada no terminal.

Nova usina solar

A usina tem 2.000 kW de potência de trabalho, o que representa o consumo equivalente de cerca de 600 residências. A planta produzirá energia suficiente para atender as operações do Terminal de Guarulhos, os dutos de entrega de derivados para as companhias distribuidoras de combustíveis e de querosene de aviação para o Aeroporto Internacional de Guarulhos, além da Base de Carregamento Rodoviário de Guarulhos (Baguar).

Operando no sistema de compensação de energia elétrica, a usina solar reduzirá em 84% a conta de energia do terminal já no primeiro mês. A economia anual prevista é de aproximadamente R$ 1,8 milhão. O investimento da Transpetro na planta foi de R$ 12 milhões.

A planta solar vai evitar a emissão de 246 toneladas por ano de gases causadores do efeito estufa na unidade.

“Para além dos aspectos financeiros, o projeto demonstra que estamos fazendo a gestão do negócio com foco na geração de valor e ampliação do nosso impacto positivo na sociedade. Estamos comprometidos com a transição para fontes de energia mais limpas e sustentáveis de modo a acelerar a redução das emissões de gases de efeito estufa nos nossos negócios”, afirmou o diretor de Dutos e Terminais, Márcio Guimarães.

Terminal sustentável

Além da usina solar fotovoltaica, o Terminal de Guarulhos tem projetos para a captação de águas pluviais para utilização como água de serviço; a instalação de um sistema de recuperação de vapor (URV) na Base de Carregamento Rodoviário de Guarulhos (Baguar) e projetos sociais com as comunidades vizinhas.

Juntas, essas iniciativas elevam o ativo ao patamar de “terminal sustentável” nos requisitos de ASG (Ambiental, Social e Governança) e novas tecnologias.

“O Terminal de Guarulhos é uma das unidades de referência da Transpetro para estudos e implantação de iniciativas disruptivas em sustentabilidade e novas tecnologias. A partir dos trabalhos bem-sucedidos que desenvolvemos nesses ativos, desdobramos em outros terminais”, explicou Keurrie Cipriano, gerente executiva de Operação de Dutos e Terminais Sul, São Paulo e Centro-Oeste.

Confira notícias relacionadas