Ao longo dos últimos anos, o termo ESG – (em português equivale a sigla para Ambiental, Social e Governança), tem ganhado força no ambiente empresarial. O que antes parecia um diferencial, se tornou relevante para as empresas que adotam projetos que se enquadram nesse novo cenário.

No Brasil, a adoção de uma agenda ESG é cada vez mais discutida e aplicada. Dados de um estudo realizado pela KPMG, indicam que 76% das empresas brasileiras, desde privadas de todos os setores, até órgãos públicos, bancos e gestores de investimento, adicionaram práticas ESG em suas estratégias de negócio.

No transporte rodoviário de cargas, setor que representou 5,1% do Produto Interno Bruto do Brasil no primeiro trimestre de 2023 e responsável por movimentar mais de 65% de tudo que é produzido no país, os projetos ESG têm crescido ano após ano.

De acordo com as inscrições para o Prêmio de Sustentabilidade do SETCESP (Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de São Paulo e Região), o número de projetos e iniciativas em sustentabilidade e ESG mais que dobrou nos últimos dois anos, passando de 33 projetos em 2021, para 69 projetos em 2023. Além disso, as inscrições bateram recordes de empresas participantes, passando de 25 organizações em 2022, para 38 neste ano.

A premiação foi lançado em 2015 com o objetivo de reconhecer e destacar as empresas de transporte associadas à entidade que estão criando projetos de acordo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU (Organização das Nações Unidas), e através deles, reduzem os impactos ambientais, geram desenvolvimento social e econômico e que prezam pela segurança viária e do trabalho de seus colaboradores.

“O Prêmio de Sustentabilidade da entidade é uma grande oportunidade para destacarmos que o transporte rodoviário de cargas também está evoluindo quando o assunto são práticas ESG. Estamos batendo recordes de empresas inscritas. Em 2023, as instituições inscritas representam 34.872 veículos na frota e 68.740 colaboradores. Então, podemos dizer que sim, o TRC tem acompanhado as tendências do mundo corporativo”, disse Adriano Depentor, presidente do conselho superior e administrativo do SETCESP.

A jornada das transportadoras que participam do Prêmio de Sustentabilidade se em abril com a abertura das inscrições. Os projetos são avaliados por uma banca de jurados especialistas em sustentabilidade e transportes, que elegem os finalistas nas quatro categorias: Governança, Responsabilidade Ambiental, Responsabilidade Social e Responsabilidade na Segurança Viária ou do Trabalho.

Os vencedores serão conhecidos no dia 26 de outubro, na sede do SETCESP, no Palácio do Transporte, em São Paulo, com transmissão ao vivo pelo canal do youtube da entidade.

Finalistas 9º Prêmio de Sustentabilidade – SETCESP

Governança:

Log10 Express, com o projeto “Governança na logística”que, através da criação de um comitê ESG, trouxe uma nova mentalidade para a empresa seguir processos alinhados com o objetivo de cumprir a agenda 2030 e as ODS, além de atender as expectativas dos clientes e fornecedores, gerenciar riscos, buscar eficiência operacional, redução de custos e obter uma vantagem competitiva.

Pizzattolog, com o projeto “Pizzattolog ESG”, que estruturou um Comitê para avaliar impactos, melhorias e investimentos para controlar, divulgar, estabelecer metas e fornecer indicadores sobre o todo o processo de construção ambiental linkados com a agenda de 2030 da ONU.

Responsabilidade Ambiental:

JNR Transportes e Logística, com o projeto “Logística sem bitucas”, que criou um mindset de consciência coletiva para destinação correta de bitucas nas unidades da JNR com o objetivo de diminuir os impactos ambientais e conscientizar os profissionais de que fumar é prejudicial à saúde.

Trans Kothe Transportes Rodoviários, com o projeto de “Redução da Emissão de Carbono em Rota de Longa Distância”, que implantou placas solares nas unidades da empresa e embarcada em suas carretas. Com isso, a empresa conseguiu entregar energia permanente por longos percursos do território brasileiro, reduzindo assim o impacto de suas emissões ao meio ambiente.

Responsabilidade na Segurança Viária ou do Trabalho:

Braspress Transportes Urgentes, com o projeto “CAMB” Basil de Barros – Centro de Apoio ao Motorista Braspress”, que aprimorou o cuidado com a saúde e bem-estar dos motoristas. Atualmente, a empresa possui 10 centros de atendimento ao motorista Braspress em todo o Brasil, fazendo com que a cada 600 km, haja uma troca de motoristas, e esses profissionais estejam em casa dia sim e dia não.

Rodonaves Transportes e Encomendas, com o projeto “Caminho Seguro”, que tem o objetivo de reduzir as ocorrências de acidentes e doenças ocupacionais, proporcionar um ambiente de trabalho seguro, melhorar a qualidade de vida, implementar ações para valorização dos motoristas profissionais, reduzir acidentes e doenças ocupacionais.

Responsabilidade Social:

Sada Transportes e Armazenagens, com o projeto “Voluntariado Corporativo”, que tem o objetivo de fomentar e gerenciar atividades sociais voluntárias, que envolvem a participação de colaboradores e terceiros, idealizando ações para que doem tempo da sua jornada de trabalho e talento em prol do desenvolvimento das comunidades onde as empresas do Grupo SADA estão inseridas.

Transportes Cavalinho, com o projeto “Mini Truck”, uma réplica quase perfeita de um caminhão que funciona como uma iniciativa social e educativa, e convida crianças de até 12 anos a aprender, refletir e multiplicar ações de segurança no trânsito, por meio de uma sensibilização que utiliza linguagem adaptada à compreensão infantil, e ao mesmo tempo os leva a posicionar-se como agentes importantes para a transformação social.

Confira notícias relacionadas