*Por Raphael Augusto

O Brasil é um dos principais países no agronegócio global e esse cenário é motivado principalmente pelas tecnologias para o produtor rural e pelo desenvolvimento científico do setor, que bate recordes anuais de produção e exportação de commodities diversas. De acordo com cálculos do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq/USP) e da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)o Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro poderá alcançar R$ 2,65 trilhões neste ano, 35,9% a mais que o registrado em 2022.

Tecnologias para o produtor rural

O melhoramento genético é essencial para a manutenção e ampliação contínua desses bons resultados. Por meio da pesquisa e do desenvolvimento de cultivares para culturas como soja, milho e algodãoo produtor passou a ter nas últimas décadas lavouras mais produtivas e sustentáveis, considerando que as sementes visam atender a demanda por resistência a pragas e doenças, além da necessidade de adaptação a diferentes climas e regiões.

Para que isso seja possível, companhias como a TMG – Tropical Melhoramento & Genética – empresa brasileira de soluções genéticas para algodão, soja e milho, que busca trazer inovação ao campo, investem em tecnologia e ciência. Adicionalmente, são firmadas parcerias importantes com hubs de tecnologia, responsáveis por promover o acesso a novas alternativas para aprimorar e agilizar processos, auxiliando analistas responsáveis por cada fase dos programas de melhoramento genético na coleta, cruzamento e análise de dados.

Mas o avanço tecnológico não pode ficar limitado às empresas. É preciso desenvolver e tornar acessíveis soluções que permitam ao agricultor mapear suas lavouras, identificar falhas, pragas como nematóides, outros fatores de risco, coletar e cruzar dados e automatizar processos que atualmente ainda são manuais. É necessário, portanto, dar acesso a recursos para auxiliá-lo no controle e planejamento das safras futuras, além da escolha das cultivares geneticamente mais apropriadas para cada necessidade.

tecnologia pode contribuir também para resolver questões que envolvem os profissionais que atuam nas lavouras. Esses trabalhadores podem ser cada vez mais analíticos e estratégicos com o uso de novos recursos e a consequente capacitação. Além disso, o campo enfrenta hoje escassez de mão de obra, um problema enfrentado por muitos agricultores e empresas do setor, o que enfatiza a busca por novas tecnologias e automações de processos manuais para mitigar essa escassez de mão de obra no campo.

Por fim, precisamos ampliar a interação entre as empresas do ramo e os agricultores, nesse sentido os hubs de tecnologia devem se reinventar e desempenhar um papel mais valioso no levantamento das reais necessidades dos agricultores, essa ponte deve ser construída com uma linguagem acessível e comunicação clara, para o sucesso na adoção das novas tecnológicas. Assim, sem dúvida, será possível entregar soluções que de fato façam a diferença no campo, uma agricultura cada vez mais sustentável, com segurança alimentar e qualidade.

*Raphael Augusto é consultor de soluções Agritech na TMG – Tropical Melhoramento & Genética

Confira notícias relacionadas