Por: Serviço Geológico do Brasil

Após registros de mínimas históricas, os rios da Amazônia mantêm o processo de recuperação, conforme indica o 57º Boletim de Alerta Hidrológico da Bacia do Amazonas, divulgado em 15 de dezembro. De acordo com o estudo, em todas as estações foram observadas subidas no nível dos rios, no entanto as cotas ainda estão baixas para o período. Essa elevação em diferentes estações é influenciada pelo processo de enchente na cabeceira no Alto Solimões.

Processo de recuperação dos rios da Amazônia

Na estação de Tabatinga (AM), o Solimões apresentou subidas médias diárias de 12 cm e alcançou a cota de 7,79 m. Em Itapéua (AM), a elevação média foi de 24 cm por dia, e a marca atual é de 6,81 m. Já em Manacapuru (AM), a elevação foi de 16 cm diários, e a cota atingida foi de 7,23 m.

Esse comportamento de subidas continua sendo observado no Rio Negro, em Manaus (AM), com elevações médias diárias de 15 cm. A cota atual é de 15,97 m. Segundo o boletim, o Negro também voltou a subir em São Gabriel da Cachoeira (AM) e Tapuruquara (AM), nesta semana. Os níveis observados foram de 7,01 m e 2,94 m respectivamente. Em Barcelos (AM), o rio apresentou estabilidade, mas voltou a subir nos registros mais recentes, atingindo a marca de 2,52 m.

O boletim também indica subidas acentuadas no Rio Acre, na estação da cidade de Rio Branco (AC), que atingiu a cota de 4,87 m. Em Beruri (AM), o Rio Purus iniciou o processo de enchente, com subidas diárias de 20 cm, chegando à marca de 8,97 m.

Na Bacia do Rio Madeira, foram observadas subidas em Porto Velho (RO), mas certa estabilidade nos últimos dias, ficando na cota de 7,61 m. Em Humaitá (AM), o Madeira teve subidas acentuadas no começo da semana e pequenas elevações nos últimos registros. O nível do rio na estação é de 15,03 m.

O Rio Amazonas subiu uma média diária de 13 cm em Itacoatiara (AM) e Careiro da Várzea (AM), alcançando as marcas de 3,01 m e 3,6 m, respectivamente. Também foram observadas subidas em Parintins (AM), que atingiu a cota de 98 cm; Óbidos (PA), com cota de 37 cm; e Santarém (PA), que alcançou a marca de 1,12 m.

A Bacia do Rio Branco, que registrava descidas nas últimas semanas, agora dá indícios de recuperação, com subidas em Boa Vista (RR) e Caracaraí (RR). As marcas nessas estações são: 62 cm e 1,09 m.

Confira notícias relacionadas