O diesel possui grande parcela nos custos operacionais das atividades de transporte ao redor do Brasil e, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), as transportadoras gastam, em média, 35% de seu faturamento com o abastecimento de seus veículos. Ao longo dos últimos anos, o combustível fóssil tem sofrido diversas variações que impactam diretamente não só a estrutura das empresas de transporte, mas toda a economia.

Para auxiliar as transportadoras e a sociedade, o Instituto Paulista do Transporte de Cargas (IPTC), realiza estudos e análises semanais do preço do diesel. Conforme análise comparativa da semana 21/01/2024 a 27/01/2024 com a semana 28/01/2024 a 03/02/2024, foram identificados alguns indicadores relevantes.

Curitiba (PR) apresento aumento no preço do diesel comum em 2,50%, ficando com valor atual de R$5,75. Em Natal (RN), o diesel S10 teve um aumento de 2,65%, fechando em R$6,19, e também aumentou o valor do diesel comum em 5,21%, ficando com valor de R$6,06, e, em Porto Velho (RO), o preço do diesel comum aumentou em 2,02%, fechando em R$6,58.

Outra capital que registrou alta foi Porto Alegre (RS): 3,11% no diesel comum, com valor atual de R$5,96. São Luís (MA), por sua vez, apresentou diminuição de -4,51%, com valor atual de R$5,29. O mesmo se deu em São Paulo (SP), que teve queda no preço do diesel S10 em -0,33%, fechando a semana com um valor atual de R$6,06. Mas o diesel comum aumentou na capital paulista, 1,22%, com valor atual de R$5,82.

Analisando individualmente, a capital brasileira com diesel mais caro é Rio Branco, com os seguintes valores: Diesel S10 em R$7,00 e, o comum, R$6,95. São Luís apresentou o combustível mais barato, com o S10 custando R$5,39, e o diesel comum em R$5,29.

Segundo Ricardo Henrique, analista de dados do IPTC, a tendência de constantes variações se mantém neste início de 2024. “Na última semana, observamos um leve aumento nos valores tanto do diesel S10 quanto do diesel comum, indicando uma pequena variação no cenário de preços dos combustíveis. No entanto, é importante ressaltar que essa oscilação não necessariamente aponta para uma tendência definida, dado que o mercado de combustíveis é altamente volátil e sujeito a constantes mudanças. Atualmente, estamos testemunhando um cenário que se equilibra com variações mínimas, o que reflete a dinâmica atual do mercado e sua relativa estabilidade diante das flutuações. Essa constante adaptação é essencial para entendermos a formação dos preços dos combustíveis.”

 

Confira notícias relacionadas