Quando esteve na Bahia, em março, na sua primeira passagem pelo estado como presidente da Petrobras, Jean Paul Prates garantiu que a companhia ficaria no Nordeste e ainda iria reforçar os investimentos locais. Na sexta-feira (06/10), em cerimônia na Casa Baluarte, no antigo bairro do Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador, além de celebrar o aniversário de 70 anos da maior empresa brasileira, o presidente reforçou a promessa, anunciou investimentos de R$ 3,5 bilhões no estado nos próximos anos, a perfuração de 35 poços e a inauguração do polo da Universidade Petrobras na Torre Pituba, na capital baiana, no próximo dia 11/10.

Em seu discurso, Prates reafirmou o compromisso de fortalecer a atuação regional da Petrobras, tanto na produção, quanto em outras atividades, a exemplo da Gerência de Comunicação Digital que ficará em Salvador. “Como disse antes, a Petrobras fica na Bahia. Ampliaremos os investimentos regionais em patrocínios culturais, sociais e ambientais, seguiremos produzindo petróleo aqui e vamos intensificar pesquisas científicas locais. Vamos não só retomar a Universidade Petrobras na Bahia, como vamos priorizar o retorno das equipes regionais para transformação da realidade local”, garantiu.

No evento, que também teve as presenças da diretoria executiva da Petrobras, do vice-governador da Bahia, Geraldo Júnior, do senador Jaques Wagner, entre outras autoridades governamentais, empregados, entidades sindicais e parceiros convidados, o presidente da Petrobras apontou ainda para onde a empresa deve seguir nos próximos anos. “Ainda estamos no primeiro ano de uma gestão que acredita na perenidade da Petrobras e no seu papel como protagonista do desenvolvimento nacional. Nesse caminho, temos o compromisso de conduzir o Brasil à transição para uma matriz energética mais ampla e sustentável, com justiça energética e justiça social para todas e todos”, destacou Prates.

Ele acrescentou: “A sociedade exige, cada vez mais, uma variedade de fontes energéticas que possibilite a redução das emissões de carbono e um equilíbrio ambiental fundamental para o futuro do planeta. O Nordeste tem essa vocação para as energias renováveis, como solar, eólica e de hidrogênio”.

Confira notícias relacionadas