A partir desta semana, a Petrobras passará a integrar as análises feitas nas empresas que integram seu cadastro de fornecedores. Na prática, para estarem plenamente aptas a prestar serviços à Petrobras, as empresas precisarão demonstrar que estão comprometidas em respeitar, conscientizar e promover os direitos humanos.

Nas análises de integridade de fornecedores – processo tecnicamente chamado de Due Diligence de Integridade (DDI) – serão observados se os eventuais fornecedores possuem ações relacionadas, por exemplo, à prevenção ao trabalho análogo à escravidão; à erradicação do trabalho infantil, bem como da exploração sexual de crianças e adolescentes; ao combate ao assédio moral ou sexual e discriminação em todas as suas formas; à garantia da liberdade de associação e negociação coletiva; e ao fomento da diversidade, equidade e inclusão.

“Acreditamos que a Petrobras possa fomentar significativamente a promoção dos direitos humanos no país, já que a cadeia de fornecedores da companhia conta atualmente com mais de 234 mil empresas cadastradas. Essa iniciativa exigirá que todas as empresas que desejem fazer negócios com a Petrobras demonstrem que também possuem ações efetivas de respeito e defesa dos direitos humanos”, afirma Mário Spinelli, diretor de Governança e Conformidade da Petrobras.

Entenda o DDI

A Petrobras adotou o Due Diligence de Integridade de fornecedores em 2015. A DDI exige que os fornecedores companhia demonstrem a existência e o funcionamento de estruturas e mecanismos de governança, compliance e de auditoria interna proporcionais ao tamanho, complexidade e criticidade de suas operações.

Após a realização da análise, o fornecedor recebe um Grau de Risco de Integridade (GRI), que varia de baixo, médio ou alto. Fornecedores com GRI alto ficam com restrições para fazer negócios com a Petrobras. Nos últimos 8 anos, mais de 32 mil fornecedores receberam o Grau de Risco de Integridade (GRI) como resultado da aplicação do procedimento de DDI.

A incorporação de requisitos de prevenção a violações dos direitos humanos ao procedimento de DDI soma-se a outras iniciativas colocadas em prática pela Petrobras nos últimos anos, como o lançamento do Guia de Conduta Ética para Fornecedores, a implementação da Trilha de Direitos Humanos e Empresas, em parceria com o Pacto Global da ONU, e a divulgação do seu Caderno de Direitos Humanos e Cidadania Corporativa.

 

Confira notícias relacionadas