Por: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)

Desenvolvimento rural sustentável do pantanal brasileiro foi o foco de uma reunião entre representantes da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), da Associação Pantaneira de Pecuária Orgânica e Sustentável (ABPO), da IDH – fundação que atua para transformação de mercados – e de órgãos públicos de Mato Grosso do Sul.

“Discutimos temas de relevância para o cenário atual da pecuária de corte, especialmente, sustentabilidade, inclusiva produtiva e segurança alimentar, a partir do uso de ferramentas de rastreabilidade”, conta Antonio Rosa, chefe-geral da Embrapa Gado de Corte (Campo Grande-MS). O especialista diz que, ao final da visita, ficou evidente a oportunidade de cooperação entre as instituições a fim de expandir os sistemas de produção de gado de corte, de forma sustentável.

Desenvolvimento sustentável do pantanal brasileiro

A Embrapa Gado de Corte, a Embrapa Pantanal (Corumbá-MS) e a Embrapa Agropecuária Oeste (Dourados-MS) têm parcerias em andamento com a ABPO e também com a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (IAGRO) e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Semadesc), entidades públicas presentes no encontro.

“Esse é o início de uma discussão positiva e importante para o setor, pois entendemos que é necessária uma definição de critérios específicos para o bioma Pantanal com a estruturação de um plano que tenha participação de atores públicos e privados, entidades de produtores, empresas, prestadores de serviços, instituições financeiras e entidades da sociedade civil comprometidos com essa agenda”, adicionou Paulo Costa, especialista em sistemas de rastreabilidade na IDH.

Eduardo Cruzzeta, presidente da ABPO, ponderou que foram traçadas estratégias para a valorização da pecuária pantaneira com foco principal na pecuária de cria, que hoje é a atividade mais importante de geração de renda na região. Porém, ainda tem dificuldades de agregar valor ao seu principal produto, que são os bezerros pantaneiros.

A IDH e a ABPO já possuem um termo de parceria para implementar uma agenda de longo prazo de uso sustentável do solo, promovendo a produção sustentável, a atração de investimentos públicos e privados e a abertura de mercados consumidores globais. A Embrapa, por sua vez, pretende com a IDH ampliar as ações direcionadas à conservação dos recursos naturais, alinhando expectativas e visão sobre a rastreabilidade de bovinos no bioma.

 

Confira notícias relacionadas