A ONG Fundação Amazônia Sustentável, localizada em Manaus, foi selecionada no Prêmio Zayed de Sustentabilidade, na categoria Ação Climática, e está concorrendo a US$ 600 mil. Os vencedores serão anunciados no dia 1 de dezembro durante a COP28 nos Emirados Árabes Unidos.

O júri da premiação elegeu 33 finalistas entre 5.213 candidaturas recebidas em seis categorias: Saúde, Alimentação, Energia, Água, Ação Climática e Escolas de Ensino Médio Globais – um aumento de 15% nas candidaturas em comparação com o ano passado. A nova categoria Ação Climática, introduzida para marcar o Ano da Sustentabilidade dos Emirabos Árabes Unidos e a realização da COP28, recebeu 3.178 nomeações.

Do Brasil, Indonésia, Ruanda e de outros 27 países, os finalistas representam pequenas e médias empresas, organizações sem fins lucrativos e escolas secundárias (Ensino Médio).

“As inovações apresentadas refletem uma profunda dedicação à inclusão e uma determinação inabalável em colmatar lacunas críticas. Estas soluções alinham-se diretamente com os quatro pilares da agenda COP 28 EAU: acelerar uma transição energética justa e equitativa, fixar o financiamento climático, concentrar-se nas pessoas, vidas e meios de subsistência e apoiar tudo com total inclusão. O trabalho destes pioneiros da sustentabilidade contribuirá com soluções práticas para o progresso climático que protegerão o planeta, melhorarão os meios de subsistência e salvarão vidas”, disse  Sultan Ahmed Al Jaber, ministro da Indústria e Tecnologia Avançada dos EAU, diretor Geral do Prêmio Zayed de Sustentabilidade e presidente designado da COP 28.

Conheça os finalistas do Prêmio Zayed de Sustentabilidade

Categoria Saúde:

  • Alkion BioInnovations: PME francesa especializada no fornecimento de ingredientes ativos rentáveis e sustentáveis para produtos farmacêuticos e vacinas em grande escala.
  • ChildLife Foundation: organização sem fins lucrativos do Paquistão que emprega um modelo inovador de saúde Hub & Spoke, ligando salas de emergência como centros a centros satélites de telemedicina.
  • doctorSHARE: organização sem fins lucrativos da Indonésia dedicada a expandir o acesso à saúde em regiões remotas e inacessíveis usando hospitais flutuantes montados em barcaças.

Categoria Alimento:

  •  Plataforma Agrícola Urbana e Periurbana: ONG da Palestina que capacita as mulheres empresárias em Gaza a alcançar a segurança alimentar nas suas comunidades.
  • Regen Organics: PME do Quênia especializada em um processo de fabricação em escala municipal que produz proteínas à base de insetos para alimentação de gado e fertilizantes orgânicos para produção hortícola.
  • Semilla Nueva: ONG da Guatemala especializada no desenvolvimento de sementes de milho biofortificadas.

Categoria Energia:

  • Husk Power Systems: PME dos Estados Unidos que implanta minirredes habilitadas para IA que fornecem energia renovável 24 horas por dia, 7 dias por semana, para residências, microempresas, clínicas de saúde e escolas.
  • Ignite Power: PME de Ruanda especializada no fornecimento de soluções pré-pagas movidas a energia solar para electrificar comunidades de última milha.
  • Koolboks: PME francesa que fornece soluções de refrigeração solar fora da rede com monitorização integrada da Internet das Coisas (IoT) para comunidades de última milha, através de um modelo de vendas de arrendamento próprio.

Categoria Água:

  • ADADK : PME da Jordânia que emprega sensores inteligentes sem fios que utilizam aprendizagem automática e realidade aumentada para a deteção de fugas de água visíveis e ocultas.
  • Eau et Vie: ONG da França que oferece torneiras individuais às casas de residentes urbanos necessitados, garantindo o acesso à água potável em bairros precários.
  • TransForm: organização sem fins lucrativos da Dinamarca que emprega tecnologia inovadora de filtragem de solo para o tratamento econômico de águas residuais, esgotos e lodo, sem depender de energia ou produtos químicos.

Categoria Ação Climática:

  • CarbonCure: PME do Canadá especializada em tecnologia de remoção de carbono – o CO₂ é injetado no concreto fresco, reduzindo efetivamente sua pegada de carbono e mantendo os padrões de desempenho.
  • Fundação Amazônia Sustentável: organização sem fins lucrativos do Brasil que se dedica a implementar projetos e programas que promovem a conservação ambiental e capacitam as comunidades indígenas para proteger seus direitos.
  • Kelp Blue: PME da Namíbia que contribui para a restauração da natureza selvagem dos oceanos e para a mitigação do excesso de CO₂ através do estabelecimento de florestas de algas gigantes em grande escala em águas profundas.

Os finalistas da categoria escola secundária global (escolas do ensino médio) apresentaram soluções de sustentabilidade baseadas em projetos e lideradas por alunos, com finalistas divididos em 6 regiões, sendo:

Américas: Colegio De Alto Rendimiento La Libertad (Peru); Liceo Baldomero Lillo Figueroa (Chile); e Escola Novos Horizontes (Argentina).

Europa e Ásia Central: Northfleet Technology College (Reino Unido); Escola Presidencial em Tashkent (Uzbequistão); e Split International School (Croácia).

Médio Oriente e Norte de África: Escola Internacional (Marrocos); Escola Internacional JSS (Emirados Árabes Unidos); e Obour STEM School (Egito).

África Subsaariana: Academia Gwani Ibrahim Dan Hajja (Nigéria); Escola Primária e Secundária Lighthouse (Maurício); e Escola Comunitária USAP (Zimbábue).

Sul da Ásia: Escola Pública Internacional da Índia (Índia); Complexo Educacional KORT (Paquistão); e Escola Obhizatrik (Bangladesh).

Leste Asiático e Pacífico: Escola Secundária No. 35 de Pequim (China); Faculdade Swami Vivekananda (Fiji); e South Hill School, Inc. (Filipinas).

Nas categorias Saúde, Alimento, Energia, Água e Ação Climática, cada vencedor receberá US$ 600 mil, e cada uma das seis Global High Schools vencedoras recebe até US$ 100.000.

 

Confira notícias relacionadas