Durante o evento “Sustentabilidade com o Google – Cidades”, realizado na semana passada em São Paulo, o Google apresentou tecnologias e iniciativas para ajudar autoridades brasileiras, organizações e pessoas a tomar melhores decisões sobre sustentabilidade, reduzindo o impacto das grandes metrópoles no planeta e usando a inovação para construir um futuro mais sustentável.

“Por meio de tecnologias, como a inteligência artificial, queremos continuar conectando as pessoas a informações confiáveis e ajudar governos, parceiros e empresas a alcançarem suas próprias metas de sustentabilidade”, explica Fábio Coelho, presidente do Google Brasil. “Criar um futuro mais sustentável depende de uma ação conjunta de todos nós.”

Uma pesquisa encomendada pelo Google ao Boston Consulting Group (BCG) e divulgada esta semana mostra o potencial transformador que a inteligência artificial (IA) pode ter no combate às mudanças climáticas. Segundo o estudo, a IA pode ajudar a mitigar de 5 a 10% das emissões globais de gases com efeito de estufa até 2030 — o equivalente ao total de emissões anuais da União Europeia.

Reduzindo as emissões no trânsito usando IA

Durante o evento, o Google detalhou o projeto Green Light – iniciativa do Google Research, área da empresa dedicada à pesquisa –, que utiliza IA para fazer recomendações de melhoria no fluxo do trânsito a partir da otimização dos semáforos existentes nas cidades. Ao coordenar vários cruzamentos adjacentes para criar ondas de sinais verdes, os municípios podem melhorar o fluxo dos veículos e reduzir ainda mais as emissões de CO2.

A capital do Rio de Janeiro é a primeira a participar da iniciativa na América Latina, em uma parceria com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio). Campinas (SP) será a próxima e deve iniciar os trabalhos em 2024, em parceria com a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec).

Segundo o Google, os resultados da adoção do Green Light são promissores. Números iniciais indicam que, nas cidades onde está ativo, há um potencial de reduzir as paradas dos veículos em 30% e as emissões nos cruzamentos em mais de 10%. Isso pode ajudar as pessoas a economizar combustível e reduzir as emissões em até 30 milhões de viagens de carro por mês.

Suporte às cidades em seus planos para reduzir emissão de CO2

O Google também anunciou uma parceria com o Centro de Operações do Rio (COR-Rio) para identificar e medir as fontes de emissões de gases poluentes no Rio de Janeiro. Como parte da parceria, o COR-Rio passará a usar dados do Environmental Insights Explorer (EIE), que combina IA e imagens aéreas para oferecer análises e identificar oportunidades de redução de gases de efeito estufa e poluição nas cidades. A ferramenta é gratuita.

O EIE está presente em mais de 40 mil locais no mundo e disponibiliza dados sobre suas emissões globais, como estimativas das emissões provenientes do aquecimento, resfriamento e abastecimento de energia em edifícios e construções e também de deslocamentos na área de transportes. A plataforma mostra oportunidades na redução das emissões, implementação de fontes de energia renováveis ​​e mais limpas, melhoria na infraestrutura por meio do incentivo ao uso de outros meios de transporte mais sustentáveis e sobre construções com maior eficiência energética.

Em colaboração com o ICLEI – principal associação mundial de governos locais e subnacionais dedicados ao desenvolvimento sustentável –, dados da cidade do Rio de Janeiro, fornecidos pelo EIE, serão analisados para trazer um relatório completo ao COR-Rio com informações sobre as emissões geradas pela construção civil e veículos, identificando oportunidades de ação e oferecendo suporte à prefeitura no cumprimento de suas metas de sustentabilidade.

“Quando combinamos informações de qualidade com o poder da IA, podemos transformar a forma como tomamos decisões sobre sustentabilidade”, diz Ivan Patriota, líder de parcerias para Google Maps na América Latina. “Com o EIE, queremos ajudar cidades como o Rio de Janeiro a elaborar planos climáticos e estratégias baseadas em insights sobre como a cidade emite CO2.”

Mais informações úteis enchentes e ondas de calor extremo

Segundo dados do Google Trends, brasileiros nunca pesquisaram tanto no Google sobre “calor” e “tempestades” do que em 2023, incluindo perguntas como “Quando acaba a onda de calor?”, “Por que está fazendo tanto calor?” e “O que causa uma tempestade?”. Eventos climáticos extremos – como ondas de calor prolongadas, secas e enchentes – estão em nível recorde no Brasil e se tornando frequentes em mais lugares, em boa parte como efeitos da crise climática que vivemos.

Desenvolvido em parceria com o Serviço Geológico do Brasil (SGB/CPRM), o Alerta de Previsão de Inundações é outro avanço em IA que ajuda comunidades e pessoas a agir em momentos ambientais críticos. Até novembro de 2023, o recurso permitiu o envio de mais de 2 milhões de notificações de celular com previsão de enchentes ribeirinhas e mais de 250 alertas foram disponibilizados na Busca e no Google Maps, impactando mais de 9 milhões de pessoas no Brasil. Até o final deste ano, o Google irá expandir a previsão de enchentes ribeirinhas para mais 40 localidades (38 novas cidades ). Esse sistema de alertas é parte dos esforços do Google para fornecer alertas detalhados sobre o nível das águas dos rios e previsões de cheias.

Para manter a população segura e informada também em situações de ondas de calor excessivo, como a que o país está enfrentando em 2023, o Google agora emite alertas para diversas regiões afetadas para a apoiar os brasileiros nesses momentos. Quando as pessoas procuram na Busca por informações sobre o clima em alguma cidade afetada, podem ver detalhes sobre a situação de calor excessivo, temperaturas esperadas e dicas para se proteger. Para disponibilizar esses dados, a empresa está trabalhando em parceria com a Global Heat Health Information Network, além de mostrar dados de outras entidades locais.

Confira notícias relacionadas