Por Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)

O faturamento bruto total das lavouras dos Cafés do Brasil está estimado em R$ 48,27 bilhões em 2023, sendo R$ 36,78 bilhões de receita dos cafés da espécie Coffea arabica , montante que equivale a 76% do total do faturamento em nível nacional, e adicionalmente, R$ 11,48 bilhões dos cafés da espécie Coffea canephora (robusta+conilon), valor que corresponde a 24% do total geral.

Caso seja estabelecido um ranking do faturamento da cafeicultura das cinco regiões geográficas brasileiras, em ordem decrescente, totalizando essas duas espécies de cafés, constata-se que a Região Sudeste desponta em primeiro lugar com a receita bruta que atingiu o montante de R$ 41,46 bilhões, a qual equivale a 86% do total das lavouras dos Cafés do Brasil.

Na sequência, aparece a Região Nordeste, com receita bruta de R$ 3,20 bilhões, que corresponde a 6,62% do total. Na terceira posição vem a Região Norte com faturamento estimado em R$ 2,53 bilhões (5,24%), seguida da Região Sul, quarta colocada, que teve sua receita calculada em R$ 682,30 milhões (1,41%), e, por fim, em quinto lugar a Região Centro-Oeste, com faturamento de R$ 390,64 milhões, valor que equivale a menos de 1% do total nacional.

Neste mesmo contexto comparativo do faturamento bruto da cafeicultura das cinco regiões geográficas brasileiras, mas, no presente caso, exclusivamente dos cafés da espécie de C. arabica , verifica-se a seguinte performance: Regiões Sudeste e Nordeste figuram em primeiro e segundo lugares, respectivamente, com faturamentos estimados em R$ 34,24 bilhões (93%) e R$ 1,59 bilhões (4,32%). A terceira colocada é a Região Sul com R$ 682,30 milhões (1,85%), seguida pela Região Centro-Oeste com R$ 263,43 milhões, cuja participação é também menor que 1%. Quanto à Região Norte, em 2023, não se tem registros da produção de C. arábica.

Com relação ao café Coffea canephora (robusta+conilon), na primeira colocação, de novo, desponta a Região Sudeste com R$ 7,22 bilhões (63%) seguida pela Região Norte com R$ 2,53 bilhões (22%). Na terceira posição destaca-se a Região Nordeste com R$ 1,60 bilhão (14%), e, por fim, em quarto lugar, a Região Centro-Oeste com R$ 127,20 milhões, que equivalem a aproximadamente 1% do faturamento dos cafés dessa espécie. A Região Sul brasileira não produz esse tipo de café.

Estes dados e números da performance do faturamento dos Cafés do Brasil constam do Valor Bruto da Produção – VBP Novembro 2023 divulgado pela Secretaria de Política Agrícola – SPA, do Ministério da Agricultura Pecuária (mapa), o qual está disponível na íntegra, assim como todas as demais edições, no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café , coordenado pela Embrapa Café .

Cálculo do VBP do café 

O cálculo do VBP do café tem como base a safra anual estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e preços médios recebidos pelos produtores divulgados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Universidade de São Paulo (USP). Os dados desta análise consideraram, entre outros, os preços médios anuais recebidos pelos produtores no período de janeiro a novembro de 2023. E os cálculos dos preços referem-se ao café arábica tipo 6, bebida dura para melhor e café robusta tipo 6, peneira 13 acima, com 86 defeitos.

Confira notícias relacionadas