Por: Ministério de Minas e Energia (MME)

O relatório Renewables 2023, da Agência Internacional de Energia (AIE), divulgado na quinta-feira (11/1), reforçou a liderança do Brasil na América Latina na questão da expansão de energia renovável. As estimativas apontam um aumento de 165 gigawatts (GW) de geração renovável na região de 2023 a 2028, sendo que o Brasil deve representar mais de 65% desse total. A energia solar lidera a expansão, seguida pela energia eólica.

Energia renovável no Brasil

Ainda de acordo com o documento, o Brasil é responsável por quase 90% das adições de energia solar distribuída na região. As projeções da Agência Internacional de Energia sugerem que o setor de energia solar distribuída no Brasil manterá essa trajetória ascendente, com adições médias superiores a 7 GW por ano até 2028.

Os dados consolidam o País como um dos destaques da transição energética no cenário internacional, não apenas por seu ambiente favorável ao investimento, mas também por políticas inovadoras que impulsionam o crescimento das fontes de energia limpa e sustentável. Para o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, o Brasil emerge como um exemplo inspirador para outras nações, não apenas na região, mas globalmente, demonstrando que é possível equilibrar o desenvolvimento econômico com a adoção sustentável de energias renováveis e biocombustíveis.

“O sol que tanto castigou o nosso povo agora representa um tempo de mudanças e oportunidades para o Brasil e para América Latina, seja para a renovabilidade das nossas matrizes, ou para a construção de transições energéticas justas e inclusivas, gerando energias limpas, emprego e renda para nossa população. O comprometimento do País em liderar esse processo segue firme, guiando outros países em direção a um futuro mais justo e inclusivo”, destacou

Segundo a AIE, o Brasil tem demonstrado resiliência ao buscar soluções inovadoras. A instituição internacional citou os leilões de transmissão como uma estratégia chave para conectar áreas de alto potencial de recursos renováveis com o restante do País. Só em 2023, foram quase R$ 40 bilhões em investimentos para construção, operação e manutenção de mais de 10 mil quilômetros de linhas, com destaque para região Nordeste e ampliação do escoamento para energia renovável.

Biocombustível

O relatório destaca ainda que o Brasil, em conjunto com outras economias emergentes, lidera o crescimento de biocombustíveis, superando a média dos últimos cinco anos em 30%.

O documento aponta que o País, isoladamente, contribuirá com 40% da expansão global de biocombustíveis até 2028, respaldado por políticas robustas nesse setor. O uso de biocombustíveis no transporte rodoviário permanece como a principal fonte de nova oferta, respondendo por quase 90% da expansão.

As expectativas positivas são reforçadas pelo anúncio de novas políticas como o Programa Combustível do Futuro, que devem impulsionar novos mercados e oportunidades de investimento, como os combustíveis sustentáveis de aviação.

 

Confira notícias relacionadas