A Embrapa Meio Ambiente desenvolve novo tipo de pulverizador pneumático eletrostático, projetado para aumentar a eficiência na aplicação de produtos fitossanitários em mais de 30%. Segundo a entidade, o produto representa uma inovação na tecnologia de pulverização agrícola.

Desenvolvido sob a liderança do pesquisador Aldemir Chaim, ele, garante a Embrapa, se destaca por ser mais leve e eficiente do que os modelos convencionais disponíveis no mercado. Equipado com um bico pneumático específico, que funciona com um compressor de baixa pressão e baixo volume de ar, é alimentado por uma bateria de 12V, permitindo pelo menos 4 horas de uso contínuo. O novo design resulta em um peso total de aproximadamente 10 kg quando completamente abastecido, significativamente mais leve do que os equipamentos hidráulicos tradicionais.

O bico especializado do equipamento oferece um consumo de calda entre 5 e 15 litros por hectare, operando a uma velocidade de 2,4 km/h, ideal para culturas com espaçamento de um metro entre linhas. Essa tecnologia permite a produção de gotas de menor diâmetro, aumentando a biodisponibilidade e a deposição dos produtos, além de ser acionada por uma bateria que gera baixo ruído e possui um sistema de gatilho pneumático, garantindo a segurança do operador.

Comparativamente, a Embrapa diz que seu pulverizador vantagens em relação ao modelo americano “BP2-e”, da empresa Electrostatic Spraying Systems. Enquanto o de fora utiliza um sistema de eletrificação indireta, o nacional emprega um sistema de eletrificação direta, que se mostra mais eficiente ao fornecer uma carga absoluta para o jato de gotas.

Além disso, ensaios realizados com tomate e pimentão mostraram que o pulverizador brasileiro, ao contrário de seu concorrente movido a gasolina, apresenta menor peso e ruído e é mais adequado para trabalho em estufas e cultivos protegidos.

Sua bateria de 12V 15Ah permite aproximadamente 4 horas de operação, comparado às 2 horas e 15 minutos do concorrente. Outras vantagens são: maior eficiência de deposição de produtos fitossanitários, redução do impacto ambiental e dos custos com tratamentos sanitários.

A Embrapa Meio Ambiente está atualmente buscando parcerias com empresas nacionais para a fabricação e comercialização deste equipamento.

*Com informações da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)

Confira notícias relacionadas