A logística é um dos desafios da construção civil. Mas, para que as empresas do setor estabeleçam fluxos produtivos altos e regulares, tornando-se ainda mais competitivas no mercado, o investimento nesta área é impontantíssimo, pois permite uma melhor gestão da cadeia de suprimentos, evitando falhas operacionais, desperdício de material, rompimento de vínculos comerciais e aumentos de custos.

“A logística é primordial no segmento. Qualquer falha pode romper com todo um cronograma estabelecido e criar ruídos permanentes na relação com clientes”, aponta André Pimenta, CEO da Motz, transportadora digital da Votorantim Cimentos.

Para auxiliar as companhias nesta jornada, o executivo cita três caminhos a seguir. Confira:

1- Incorporar ferramentas para o acompanhamento instantâneo

Para garantir um processo logístico eficiente, é preciso haver ferramentas que permitam o acompanhamento da operação, além do treinamento da equipe para utilizar tais tecnologias. Estabelecer um canal aberto de comunicação com motoristas e clientes é fundamental para garantir a execução do planejamento, monitorando frotas e cargas e evitando eventuais falhas e atrasos.

2- Comprometimento com cronogramas e planejamentos

A gestão integrada dos processos logísticos no setor da construção civil é necessária, já que a área envolve um alto volume de dados e o controle da execução requer uma comunicação transparente. Para isso, planejamentos são fundamentais. Uma operação logística eficiente preza por garantir o transporte e a entrega de insumos para a continuidade dos processos, processos esses que devem ser contemplados em um cronograma ordenado para respeitar os limites de armazenamento e evitar desperdícios.

3- Controle de estoque

Quando falamos de controle de estoque, poucas pessoas conhecem a importância do tema dentro do setor de construção civil. Apesar disso, esse é um dos processos dentro da logística que demandam atenção para que não haja rupturas no atendimento. Dos fornecedores às construtoras e varejistas, a necessidade de manter uma quantidade suficiente de matéria prima para atender às demandas de seus clientes é a mesma. A falta de controle de entrada e saída pode gerar falhas graves como falta de materiais na obra ou perda de prazos de validade que ocasionam desperdícios.

 

 

 

Confira notícias relacionadas