O fechamento anual do Indicador de Demanda dos Consumidores por Crédito da Serasa Experian do acumulado de 2023 indicou queda em todos os estados do Sudeste do país. A menor retração ficou com Espírito Santo (-4,5%) e, a maior, com o Rio de Janeiro (-17,0%).

Veja, no gráfico abaixo, o levantamento de todas as Unidades Federativas (UFs) da região:

Na visão nacional, a queda foi de 9,1% no acumulado do ano na busca por recursos financeiros, o menor percentual já registrado desde o início da série histórica.

“Após 2022, este é o segundo ano seguido de retração. Os ‘culpados’ por afastarem os brasileiros do mercado de crédito em 2023 foram as taxas pouco atrativas, impactadas pela alta da Selic, além da inadimplência elevada “, comenta Luiz Rabi, economista da Serasa Experian.

Na análise por renda pessoal mensal do indicador, foram os brasileiros que recebem até R$ 500 que apresentaram a queda mais expressiva (-11,4%) e, aqueles que ganham mais de R$ 10 mil por mês, a menor (7,1%).

Queda na busca do consumidor por crédito em todas as Unidades Federativas

Ainda segundo o indicador, todas as regiões registraram queda na busca por recursos financeiros no acumulado de 2023, com destaque para o Distrito Federal (17,7%), o Amapá (-17,5%) e o Rio de Janeiro (-17,0%). Apenas Santa Catarina ficou abaixo dos 3% de retração.

Metodologia do indicador

O Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito é construído a partir de uma amostra significativa de CPFs, consultados mensalmente na base de dados da Serasa Experian. A quantidade de CPFs consultados, especificamente nas transações que configuram alguma relação creditícia entre os consumidores e instituições do sistema financeiro ou empresas não financeiras, é transformada em número índice (média de 2008 = 100). O indicador é segmentado por região geográfica e por classe de rendimento mensal.

Confira notícias relacionadas