A Be8, fabricante de biodiesel, anunciou o lançamento do Be8 BeVant, um metil éster bidestilado resultado de um processo que gera ganhos de qualidade e de desempenho e que permite que o produto seja adicionado 100% ou misturado ao óleo diesel.

“Essa grande inovação é fruto da experiência que conquistamos em mais de 18 anos de atuação e, claro, com nossos investimentos na Europa (onde a empresa opera uma fábrica de biodiesel na Suíça) e os conhecimentos adquiridos nos Estados Unidose na fase de estudos do projeto de biocombustíveis avançados”, celebra Erasmo Carlos Battistella, presidente da Be8.

A companhia vai investir R$ 80 milhões considerando pesquisa, desenvolvimento e ampliação de uma linha de produção na sua unidade de Passo Fundo (RS), que tem capacidade de 150 milhões de litros/ano. A previsão de início da fabricação é de 12 meses.

Segundo a Be8, o novo produto será ofertado a um custo estimado cerca de 50% inferior ao praticado hoje no mercado internacional para o Diesel Verde (HVO). A empresa pontua que o Be8 BeVant é ideal para empresas consumidoras de grandes volumes de óleo diesel tradicional e que tem o compromisso de reduzir suas emissões no curto prazo.

Ele poderá abastecer equipamentos geradores de energia e linha de máquinas pesadas para processos nas áreas de construção civil, agronegócio e terraplanagem. A fabricante atuará para atender também as demandas dos setores de logística para produção de minérios, de transportes coletivo e de cargas nos modais rodoviário, marítimo e ferroviário.

“Estamos falando de uma solução imediata, que não depende de investimento em infraestrutura ou troca de motor comparado com outras rotas tecnológicas como hidrogênio, biometano e veículo elétrico, com alto impacto para a despoluição dos grandes centros urbanos no curto prazo”, destaca Battistella. 

Patente deferida

A Be8 já teve deferida a Patente de Invenção n° BR 102022019345-2 do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) para Processo de Produção do Be8 BeVan. A empresa relatou que a fase de testes em motores Euro V em banco de provas foi superada e comprovou as vantagens e características do produto.

Ela pontua ainda que, com maior teor de éster, ele reduz até 50% as emissões de CO (monóxido de carbono), até 85% a emissão de materiais particulados e em até 90% de fumaça preta. A qualidade é comprovada com maior lubricidade considerando ULSD (Ultra Low Sulfur Diesel) máximo de 2 ppm, o teor de monoglicerídio é abaixo de 0,25%, a contaminação total residual fica abaixo de 2 ppm e apresenta 35% menos teor de água.

Como as especificações são superiores aos requisitos mínimos aceitos atualmente (ANP 920/2023), a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) vai apenas autorizar misturas superiores a B12 para a realização de uma Prova de Conceito (PoC) em parceria com fabricantes de motores e frotistas.

“Não descartamos oferecer o produto para exportação, mas nosso foco preferencial é o mercado nacional que precisa de uma solução 100% renovável. Assim reforçamos nosso compromisso de ser uma empresa de energias renováveis que implementa novas matrizes energéticas por meio de um ecossistema circular de inovação, contribuindo para espaços menos poluídos e populações com mais saúde, ainda no presente, e reinventando o futuro”, finaliza o presidente da Be8.

 

 

 

Confira notícias relacionadas